Diagnóstico para as doenças ASSOCIADAS AOS DISTÚRBIOS DO CRESCIMENTO

Quando o pediatra ou o endopediatra sinalizam que a criança não está crescendo conforme os parâmetros científicos, é realizado um exame para identificar se o paciente possui déficit de GH (hormônio do crescimento). Se esta suspeita for apontada no teste é hora, então, de buscar a causa e, em seguida, o melhor tratamento.

Confira a seguir como funciona o diagnóstico e o tratamento das principais doenças que levam à deficiência de GH:

Síndrome de Prader-Willi

O diagnóstico é feito através de um exame genético.1 A partir do resultado, a terapia é feita com a reposição de hormônio do crescimento para normalizar a altura, aumentar a massa corporal magra e mobilidade e diminuir a massa gorda.1 Além disso, é indicado aos pais supervisão estrita da ingestão diária de alimentos com base na altura, peso e índice de massa corporal (IMC) para fornecer as necessidades de energia enquanto limita o ganho de peso excessivo da criança.1

Insuficiência Renal Crônica

Para identificar se é esta a doença causadora da baixa estatura, os exames pedidos são: a dosagem de creatinina no sangue e o exame de urina.2 O tratamento é considerado difícil pelos profissionais de saúde por conta da possível existência de outros problemas associados que necessitem de adequado tratamento médico.3 Ainda assim, o problema no crescimento é bastante tratado, neste caso, com a aplicação de GH.3

Pequeno para a Idade Gestacional (PIG)

A identificação de crianças nascidas pequenas para a idade gestacional é feita por meio de diversos diagnósticos.4 Na maioria dos estudos, o médico utiliza apenas o peso de nascimento.4 A partir daí, ele verifica diferentes valores de corte, tais como se o peso de nascimento do bebê está abaixo do 10º ou 5º percentil para a idade gestacional; se existe mais que dois desvios padrões abaixo do valor médio para a idade gestacional; ou peso abaixo de 2500g para idade gestacional maior ou igual a 37 semanas.4

Síndrome de Turner

A doença pode ser diagnosticada antes do nascimento (pré-natal), durante a primeira infância ou na primeira infância.5 Ocasionalmente, em mulheres com sinais e sintomas leves da Síndrome de Turner, o diagnóstico é adiado até a adolescência ou a idade adulta jovem.5 Geralmente, será feito um teste de laboratório para analisar os cromossomos da criança.5 O teste envolve uma amostra de sangue.5 Ocasionalmente, o médico também pode solicitar uma raspagem da bochecha (esfregaço bucal) ou amostra de pele.5 A análise do cromossomo determina se há ou não um cromossomo X ausente ou alguma anormalidade.5

Os tratamentos primários para quase todas as meninas e mulheres com Síndrome de Turner incluem terapias hormonais: GH e estrogênio (feito para que a criança possa entrar na puberdade, por isso, o tratamento é feito a partir dos 11 ou 12 anos de idade da menina).5

Baixa Estatura Idiopática

Normalmente, o problema é diagnosticado após uma investigação completa do histórico médico da criança ou adolescente, um exame físico completo e a exclusão de qualquer condição médica crônica ou anormalidade hormonal.6 Além disso, pode ser pedido pelo médico uma série de exames de sangue e radiologia para descartar várias condições médicas que afetam a altura.6 Para o tratamento, quando iniciado em idade precoce, o hormônio do crescimento pode aumentar significativamente a altura final de muitas crianças com Baixa Estatura Idiopática.6

 

Referências:

  1. Prader-Willi Syndrome. GeneReviews® [Internet]. Seattle (WA): University of Washington, Seattle; 1993–2020. 1998 Oct 6 [updated 2017 Dec 14]. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20301505/. Última visualização em Janeiro de 2023.
  2. Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN). Doença renal crônica: diagnóstico e prevenção. Disponível em: https://www.sbn.org.br/noticias/single/news/doenca-renal-cronica-diagnostico-e-prevencao/. Última visualização em Janeiro de 2023.
  3. Baixa Estatura na Doença Renal Crônica: Fisiopatologia e Tratamento com Hormônio de Crescimento. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/abem/v52n5/10.pdf . Último acesso em Janeiro de 2023.
  4. Aspectos Endocrinológicos das Crianças e Adultos Nascidos Pequenos para a Idade Gestacional. Arq Bras Endocrinol Metab vol.45 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302001000100004 . Último acesso em Janeiro de 2023.
  5. Turner syndrome. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/turner-syndrome/symptoms-causes/syc-20360782 . Último acesso em Janeiro de 2023.
  6. Rose A. Gubitosi-Klug, Leona Cuttler. Idiopathic Short Stature, Endocrinology and Metabolism Clinics of North America, Volume 34, Issue 3, 2005, Pages 565-580, ISSN 0889-8529. https://doi.org/10.1016/j.ecl.2005.04.003 (https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S088985290500037X). Acesso em Janeiro de 2023

 

BR2301190085